NOVAS REGRAS PARA O PERIGOSO MUNDO DIGITAL

Brasil é último em ranking de criação de emprego da OCDE”

“Brasil é último em ranking de criação de emprego da OCDE”
(Fonte – Jornal Folha de São Paulo)

Em razão da crise econômica, o Brasil deve ter, em 2016, o pior desempenho na criação de empregos na comparação com outros 43 países, de acordo com um estudo da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

Segundo o relatório, nosso país deve registrar um saldo negativo de empregos (quando as demissões superam as contratações) de 1,6% neste ano, enquanto nos países da OCDE a previsão é de crescimento de 1,5% dos postos de trabalho em 2016.

Nas projeções da OCDE, apenas quatro outros países, além do Brasil, terão saldo negativo de empregos neste ano, com quedas bem menores, que vão de apenas -0,1%, como a Finlândia, a -0,9%, no caso da Costa Rica.

Em 2017 a situação no Brasil deve melhorar, com previsão de crescimento de 0,7% do emprego, segundo estudos.
Em junho, a OCDE já havia estimado, em outro estudo, que o Brasil deverá sofrer em 2016 a maior queda do PIB entre as 44 economias analisadas, com recuo de 4,3%, e atribuiu a “recessão profunda”, que deve durar no país até 2017, ao “contexto de grande incerteza política” e também aos casos de corrupção que abalam a confiança de consumidores e investidores, prevendo que a taxa de desemprego no Brasil deverá atingir 11,3% neste ano contra 8,5% em 2015.

Apesar da crise, as taxas de desemprego no Brasil permanecem bem mais baixas do que as previstas neste ano para países como a Grécia (23,9%), Espanha (19,3%) ou a África do Sul, onde o índice estimado é de 26,5%; uma triste realidade para todos!

Regras e condições para obtenção de financiamento de imóveis urbanos

“Algumas regras e condições para obtenção de financiamento de imóveis urbanos junto aos principais bancos (há variações de banco para banco)” – FONTE – BANCO DO BRASIL

PRÉ REQUISITOS
* Financiamento para pessoa física.
* Aquisição de imóvel residencial novo ou usado, localizado em área urbana.
* Com prazo de até 360 meses.
* Financiamento de até 80% do valor do imóvel, baseado no menor dos seguintes valores: avaliação ou compra e venda.
* Sistema de amortização SAC e Price-Pós.
* A composição de renda é admitida entre até três proponentes com vínculo de parentesco, consanguíneo ou por afinidade, entre si. Também é permitida a composição de renda entre homoafetivos.
* Carência de até 06 meses para começar a amortizar o capital. Nesse período, serão cobrados juros e seguros.

LINHAS E LIMITE DE FINANCIAMENTO
Linha SFH – Imóveis Residenciais até R$ 650 mil
* Mínimo: R$ 100 mil
* Máximo: R$ 585 mil

Linha SFH – Imóveis Residenciais até R$ 750 mil
* Mínimo: R$ 100 mil
* Máximo: R$ 675 mil

Linha CH – Imóveis Residenciais de até R$ 10 milhões
* Mínimo: R$ 100 mil
* Máximo: R$ 5 milhões

Para o Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro o valor máximo para enquadramento no SFH é de R$ 750.000,00, para os demais Estados é R$ 650.000,00.

Os custos que a compra de um imóvel

É comum vermos pessoas interessadas em adquirir um imóvel, muitas vezes seu primeiro bem, aquele em que irão morar e que materializa a conquista de um sonho familiar, não se aterem aos custos desta operação imobiliária, que vão muito além do preço de compra do mesmo.

Por este motivo é que se deve separar nesta ocasião ao menos cerca de 5% a 6% do valor da compra para fins de cobertura de gastos extras (ressalvada a questão de eventual Comissão de Corretagem – vide abaixo).

Boa parte das transações imobiliárias são intermediadas por corretores autônomos ou empresas imobiliárias, neste caso estes profissionais auferem, pelos serviços que prestam, o que denominamos Comissão de Corretagem, dentro de um patamar máximo de 6% do valor do negócio (conforme previsão contida na regulamentação do CRECI), outrossim este pagamento é de responsabilidade do vendedor, ressalvadas situações diferenciadas em regime de exceção.

Prudente que o comprador do imóvel então exija cláusula no contrato ou escritura de aquisição do bem, expressa, disciplinando que será o vendedor quem arcará com a citada comissão (ou o contrário, se for o caso).

Diferentemente da Comissão supra citada, os custos com escrituras públicas, imposto incidente sobre a aquisição do bem (ITBI), registro desta escritura no Cartório de Registro de Imóveis e demais custas e emolumentos eventualmente necessários, são de responsabilidade do comprador.

Os valores referentes aos custos com cartórios (escrituras, registros, custas e emolumentos) são estabelecidos por Tabelas do Estados, em escalas relacionadas aos valores da transação imobiliária ou valor venal (ou de referência do município), o que for maior.

Já o imposto denominado ITBI (Imposto de transmissão de bens imóveis), por ser de competência Municipal, varia de um Município para o outro, no Município de São Paulo por exemplo, sua alíquota varia de 0,5% a 3% (vide http://www.prefeitura.sp.gov.br/…/…/servicos/itbi/index.php…), também incidente sobre o valor da transação imobiliária ou valor venal (ou de referência do município), o que for maior.

Tais valores devem ser considerados como parte do custo de aquisição de qualquer imóvel e não levam em consideração eventuais outros valores que possam ser exigidos em determinados negócios como honorários de advogados, estudos de solo, levantamentos topográficos, entre outros, devendo quem se interessa em comprar um imóvel acautelar-se na hora da aquisição para fazer um bom e seguro negócio.

Entenda a recuperação judicial da Oi

Entre no site do PROJETO ENCANTAR e veja as relevantes atividades que tal entidade realiza há mais de 05 anos.

Departamento jurídico como protagonista das estratégias empresariais

Entre no site do PROJETO ENCANTAR e veja as relevantes atividades que tal entidade realiza há mais de 05 anos.

O Leão ainda mais voraz…

Entre no site do PROJETO ENCANTAR e veja as relevantes atividades que tal entidade realiza há mais de 05 anos.