Brasil é último em ranking de criação de emprego da OCDE”

“Brasil é último em ranking de criação de emprego da OCDE”
(Fonte – Jornal Folha de São Paulo)

Em razão da crise econômica, o Brasil deve ter, em 2016, o pior desempenho na criação de empregos na comparação com outros 43 países, de acordo com um estudo da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

Segundo o relatório, nosso país deve registrar um saldo negativo de empregos (quando as demissões superam as contratações) de 1,6% neste ano, enquanto nos países da OCDE a previsão é de crescimento de 1,5% dos postos de trabalho em 2016.

Nas projeções da OCDE, apenas quatro outros países, além do Brasil, terão saldo negativo de empregos neste ano, com quedas bem menores, que vão de apenas -0,1%, como a Finlândia, a -0,9%, no caso da Costa Rica.

Em 2017 a situação no Brasil deve melhorar, com previsão de crescimento de 0,7% do emprego, segundo estudos.
Em junho, a OCDE já havia estimado, em outro estudo, que o Brasil deverá sofrer em 2016 a maior queda do PIB entre as 44 economias analisadas, com recuo de 4,3%, e atribuiu a “recessão profunda”, que deve durar no país até 2017, ao “contexto de grande incerteza política” e também aos casos de corrupção que abalam a confiança de consumidores e investidores, prevendo que a taxa de desemprego no Brasil deverá atingir 11,3% neste ano contra 8,5% em 2015.

Apesar da crise, as taxas de desemprego no Brasil permanecem bem mais baixas do que as previstas neste ano para países como a Grécia (23,9%), Espanha (19,3%) ou a África do Sul, onde o índice estimado é de 26,5%; uma triste realidade para todos!